18.10.05

Número de assinantes de telefonia celular no Brasil é de quase 80 milhões

De acordo com informações divulgadas nesta terça-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em setembro, o número de novas habilitações de celulares atingiu 1.049.898. Com isso, a telefonia móvel fechou o nono mês do ano com um total de 79.997.230 acessos em serviço no país, acima dos 78.947.332 de agosto.
A região do país com maior número de celulares por habitante (teledensidade) é o Distrito Federal, com 1,18 aparelho por pessoa. Desse total de quase 80 milhões de assinantes, 64.875.660 (81,1%) são pré-pagos e 15.121.570 (18,9%) pós-pagos. A adesão de novos assinantes este ano só foi menor no mês de janeiro, com 811.101 habilitações.
O Serviço Móvel Pessoal (SMP) registra um acréscimo de 14.391.653 novos assinantes nos nove primeiros meses de 2005, o que significa um crescimento de 21,93% se comparados aos 65.605.577 de 2004. Em relação ao mesmo período do ano passado, no qual foram habilitados 11.784.798 celulares, o crescimento de assinantes alcança 22,12%. Em 12 meses, de outubro de 2004 a setembro de 2005, o País ganhou 20.332.174 novos assinantes.
Ainda segundo a Anatel, o resultado de setembro foi suficiente para manter o crescimento da teledensidade móvel brasileira - de 42,85 em agosto para 43,37 em setembro, contra 36,63 emdezembro de 2004. O indicador cresceu 18,4% este ano. A teledensidade é um indicador internacional que representa o número de telefones em serviço para cada grupo de 100 habitantes (considerando-se estimativas do IBGE. Ainda com larga dianteira na liderança da teledensidade, com índice de 118,75 (ou 1,18 telefone para cada habitante), o Distrito Federal registra um crescimento de 25,15% no indicador este ano, entre as unidades da federação.
A segunda teledensidade é do Rio Grande do Sul, com 62,14 em setembro, sendo a terceira do Rio de Janeiro, com índice de 59,35. O crescimento da densidade no Estado do Piauí, mesmo sendo o penúltimo colocado nacional no indicador (tem teledensidade de 19,54), registra um elevação recorde de 35,07% nos nove primeiros meses deste ano. O segundo maior crescimento no indicador em 2005 é da Paraíba (densidade de 28,96), que cresceu 31,91%, seguida do Rio Grande do Norte, Tocantins, Bahia, Alagoas, Pernambuco, Sergipe e Ceará - todos com crescimento da densidade superior ao do DF. A Anatel considera que o bom desempenho dos estados nordestinos indica uma recuperação da densidade em toda a região.
Mesmo tendo a última posição entre as regiões brasileiras, com densidade de 27,83 (21,32 em dezembro de 2004), o Nordeste continua liderando o crescimento do indicador este ano por região (28,1%).

Nenhum comentário: